PREGAR É SENTIR



Brilho nos olhos, adrenalina descompassada, coração oscilante e compungido, uma mistura de compaixão, simpatia, ira, amor, misericórdia. Estes são alguns sintomas que sondava o coração do eminente pregador Jonh Wesley quando discursava a Palavra de Deus. Jonh repudiava mensagens que fossem reprezadas por academicismo teológico provocando apenas a mente dos ouvintes. Como catedrático, Wesley ia além do ato da pregação, conseguindo descortinar a sala das emoções que, vez por outra, eram transmitidas para às pessoas que reagiam indefesamente a favor de Cristo. Wesley SENTIA o que PREGAVA!O púlpito atual valoriza o ato de pregar em detrimento do sentimento inerente à pregação genuína. Preocupa-se muito com a estética e beleza diminuindo a eficácia do poder da Palavra incendiando o coração do transmissor. O pregador bíblico não é aquele que prega, mas aquele que sobretudo sente. Pregar não é simplesmente fruto de horas de estudo a fio, pregar é fruto de uma vida amoldada pelo dono da Palavra! Por isso, antes de pregar, SINTA! Marcio Santana

0 comentários:

Postar um comentário